10/02/2009

A LIBERAÇÃO DO INTELECTO

O tópico de discurso de hoje é A liberação do intelecto. Cada ser vivo, cada entidade deseja a liberação. A não ser que e até que uma entidade alcance a liberação, seja na esfera física densa ou na esfera sutil, o seu desenvolvimento natural não ocorrerá. A não ser que esse desenvolvimento ocorra, não poderemos obter um conhecimento aprofundado sobre essa entidade e, por essa razão, não poderemos extrair a máxima utilização desse objeto.

Um dos tesouros valiosos dos seres humanos é o seu intelecto. É claro, vocês podem dizer que a intuição é mais valiosa do que o intelecto. De fato, isto é verdade. Mas o fato é que essa intuição é geralmente um atributo do mundo espiritual. E o domínio do intelecto ocorre tanto no mundo denso quanto no sutil. No mundo espiritual também, a inspiração do intelecto é um fator muito importante. É por isso que não podemos ignorar a contribuição do intelecto. Portanto, se ignorarmos o intelecto, teremos que nos negar a aceitar a diferença entre os seres humanos e os não-humanos na esfera mundana.

O que é o intelecto? No processo da evolução, quando Ahamtattva (o ego), a forma mais sutil do “Citta”, tem uma área maior do que a do Citta mais denso, então, essa área ampliada do Ahamtattva é chamada de “Buddhi” ou intelecto. “Boddhi” ou intuição é outra coisa. Quando o sentimento do “eu” existencial ou “Mahat Tattva” ocupa uma área mais ampla do que a do “Aham Tattva”, então, essa área ampliada do sentimento existencial do “eu” é chamada de “Boddhi” ou intuição. Essa intuição determina o elo entre os mundos denso e sutil. E como resultado de uma ligação mais íntima entre os mundos sutil e espiritual, e como resultado do conhecimento mais íntimo da beleza do mundo espiritual, essa intuição guia os seres humanos pelo caminho da espiritualidade. E para aqueles que combinam o intelecto e a intuição, sendo neste caso a intuição mais radiante e mais suave, o intelecto se torna de alguma forma ofuscado ou sem brilho. É por isso que algumas pessoas são de opinião que aqueles que estão no mundo espiritual são menos inteligentes. Mas, a realidade é diferente. Não é verdade que as pessoas espirituais são menos inteligentes. Mas para elas, o intelecto, comparado à intuição, é menos radiante. É por isso que elas não se utilizam completamente do intelecto. Elas sempre permanecem ocupadas com a intuição.

O tópico do discurso de hoje é A liberação do intelecto. A intuição é algo tão singular que permanece como uma faculdade humana inata. É por isso que nenhum esforço é necessário para a liberação da intuição. A liberação da intuição vem automaticamente, sem nenhum esforço. Mas com o intelecto é diferente. Diferentes tipos de golpes surgem de todos os lados sobre o intelecto humano, sobre o intelecto natural dos seres humanos. E devido a esses constantes golpes, o desenvolvimento espontâneo do intelecto fica obstruído, e consequentemente, ele começa a degenerar. Os seres humanos devem ser salvos da degeneração do espírito humano de várias formas. Se não protegermos o intelecto humano dos ataques violentos indesejáveis, vindos de diferentes lugares, então, o futuro da raça humana será encoberto pela escuridão atroz. Salvar a raça humana da escuridão atroz é uma obrigação sagrada de cada indivíduo.

Aqui surge uma pergunta: Qual a verdadeira natureza do intelecto? Quando os seres individuais desenvolvem algum tipo de sentimento de “eu”, após entrarem em contato com a matéria, então, este estágio inicial da mente primária é chamado de “Citta”. E quando surge no “Citta” um sentimento do “eu” mais sutil, o qual faz algo mais além de estabelecer um elo com a matéria, isto é, aquilo que adquire a capacidade de guiar a matéria, de acordo com o seu próprio desejo, é chamado de “Buddhi” ou intelecto. Esta é a especialidade do intelecto. Os seres humanos atuais estão utilizando o universo qüinqüelementar de uma forma melhor do que os antigos humanos o utilizavam. Com esse intelecto, os seres humanos fizeram centenas de descobertas cientificas; aprenderam muitas coisas sobre o mundo prático. Também no futuro eles aprenderão muito mais e executarão muitas outras coisas com esse intelecto. Porém, se o desenvolvimento seguir a fórmula de em alguns países do planeta, o bem-estar individual e coletivo da humanidade ficará bem distante. Neste mundo, existiram no passado, existem no presente e ainda continuará a existir no futuro pessoas que não desejam que a raça humana alcance o progresso intelectual.

Por que isso se passa dessa maneira? Eu já disse que o papel do intelecto é o de utilizar corretamente todos os recursos do universo – efetuar a utilização adequada do mundo expresso. Mas existem algumas pessoas egoístas no mundo que não apoiam a máxima utilização das riquezas do mundo. Porque elas temem a forma como o intelecto desenvolvido controla as forças materiais; as pessoas egoístas não gostam disso. Elas não querem que mais ninguém, a não ser elas mesmas, ou um grupo de seguidores, alcancem qualquer progresso. Muito pelo contrário, elas ficam felizes em ver o progresso dos outros, individual ou coletivo, ser ameaçado.

Os seres humanos também são uma espécie dos seres vivos. Da mesma forma como eles possuem características psíquicas especiais; eles possuem certas disposições especiais com relação aos alimentos. Agora, se esses instintos especiais, refinados e sutis dos seres humanos forem desenvolvidos adequadamente, então, gradualmente eles serão elevados ao nível da divindade. De acordo com as características especiais dos seres humanos, desenvolvem-se comportamentos especiais em comunidades de alguns países, em eras específicas. As pessoas egocêntricas não querem que o intelecto da humanidade seja utilizado para o bem-estar de toda a raça humana; pelo contrário, elas querem perpetuar as tendências que propiciam a divisão da sociedade, em nome do melhoramento da raça humana. Porque, quando conseguem criar desarmonia na sociedade humana, isto abre caminho para os seus benefícios pessoais ou seu auto-engrandecimento. Com esse intuito, elas preparam várias pseudo-escrituras e formulam todos os tipos de lógica. Elas colocam a questão de que as raças deste mundo não são iguais. Portanto, em vez de considerarem o interesse de toda a sociedade humana, elas dão preferência ao interesse de uma comunidade em particular. Esta propaganda em alto brado em favor de uma determinada comunidade, a ostentação da lógica ilógica, este tipo de argumento falso, tudo isso se combina para suprimir o crescimento espontâneo do intelecto humano. Este tipo de mentalidade é chamado de dogma. A pessoa que quer promover o bem-estar dos outros seres humanos, a pessoa que quer servir à humanidade deve afastar-se dos dogmas. Além disso, ela terá que mobilizar uma resistência firme contra os dogmas. Não é o suficiente afastar-se de uma coisa que é considerada como um verdadeiro pecado, não é o suficiente apresentar somente protestos verbais contra o pecado. É preciso empreender uma luta incondicional contra ele. Este é o critério mais fundamental para uma pessoa verdadeiramente correta.

A mesma coisa se aplica à vida econômica. Todos os cinco fatores fundamentais deste mundo, incluindo a riqueza monetária, foram criados por Parama Purusá para o benefício de toda a raça humana. Permanecer sob a proteção de Parama Purusá, viver e crescer em um ritmo adequado e tornar a existência bem-sucedida em todos os aspectos é um direito inato de cada indivíduo. É claro que existem uns poucos oportunista que têm o hábito de explorar os seus semelhantes. Mas eles não confessam isso abertamente. Pelo contrário, recorrendo à lógica ilógica, dizem que é por decreto da providência que uma porcentagem de pessoas deve permanecer desamparada para sempre. Essas pessoas estão destinadas a continuar suas existências nessa tortura desumana; e uns pouco estão destinados a nadar na riqueza e a viver na abundância e na prosperidade. Isto também é dogma. Aqueles que são inteligentes e vivem na retidão certamente devem protestar e promover uma luta sem tréguas contra os dogmas, porque aquilo que suprime o intelecto livre dos seres humanos, por certo frustrará a liberação do intelecto humano.

Uma coisa semelhante ocorre também na esfera social. Por exemplo, algumas pessoas proclamam que as mulheres não estão habilitadas à salvação espiritual. Se as mulheres quiserem atingir a emancipação espiritual, elas terão que renascer como homens. Que proposição absurda! Todas as pessoas são a prole de Parama Purusá, algumas delas são filhos e outras são filhas.

Parama Purusá poderá alguma vez fazer um decreto para que somente os Seus filhos homens estejam habilitados à liberação e à salvação? E que as suas filhas não possam alcançá-la? Na verdade, isto é uma proposição estranha e antinatural. É uma vilania absoluta. De qualquer forma, este tipo de lógica repulsiva foi injetada nos cérebros humanos, pela repetição constante do mesmo tema, de que as mulheres não possuem nenhum direito à salvação espiritual; o crescimento intelectual espontâneo das mulheres foi impedido. A liberação de seus intelectos foi refreada. Dessa forma, o progresso espiritual e o avanço social das mulheres em muitos países foi severamente obstruído. Por um lado, as forças malévolas são potentes em estabelecer os seus dogmas ostensivos e, por outro, Parama Purusá quer o desenvolvimento total do intelecto humano. Portanto, eu apelo para que vocês conduzam uma luta sem tréguas e incondicional contra o dogma. Vocês certamente serão coroados com a vitória.

P.R. SARKAR(Abhimata, Parte 4)