20/04/2014

A Vinda de Táraka Brahma

13 de maio de 1979 A Noite, Fiesch, Suíça

Ontem à noite, durante DMC eu disse que nem o tempo eterno, nem a natureza, nem o destino, nem acidente, nem os fatores quinquelementais são a Matriz Causal e, portanto, estes não podem ser aceitos como objeto de ideação . Não só isso - eles não são perfeitos em si mesmos, pois mesmo que tais entidades entrem em ação de proximidade uns com os outros - mesmo sob tais circunstâncias - não podem ser aceitos como o objetivo da vida humana.
Veja você, se o tempo eterno entra em grande proximidade com a natureza, mesmo assim não temos nada de concreto, nada adorável. E como você sabe, a natureza funciona no âmbito do tempo eterno. Assim, mesmo se este tempo eterno entrar em contato muito próximo com a natureza ou quaisquer outros fatores, não teremos algo novo, nada de novo, nada adorável. E o acidente, todos os acidentes, acontecem no âmbito do tempo eterno. Não há nada de novo no acidente. Ou seja, ele não se constitui em acréssimo filosófico. E o destino, o que é o destino? O destino é a reação em potencial, reação imanifesta. Quando ação é feita, está dentro do âmbito do tempo, e quando as reações ocorrem, também estão dentro do âmbito do tempo. Os fatores quinquelementais - são a causa aparente do tempo. Assim, onde quer que exista o tempo ou exista o assim chamado destino ou os assim chamados acidentes, os fatores quinquelementais existirão. Então, suas aproximações mútuas ou a suas combinações não fazem - não criam - qualquer coisa nobre que possa ser aceita como o Desideratum da vida humana.

"Desideratum" é uma palavra singular, e Eu disse que o termo plural " Desiderata " não deve ser utilizado. O Desideratum é algo singular. E este é Paramapurus'a .

Agora, quando Paramapurus'a diretamente ou fisicamente entra em contato com esses fatores, o que acontece? Paramapurus'a está além da periferia do tempo, mas quando ele entra em contato ou vem dentro da jurisdição do tempo, o que acontece? Nós temos algo novo, então?  Paramapurus'a está além dos limites temporais e espaciais e limitações pessoais. Mas quando Ele chega dentro dos limites de Suas jurisdições, o que acontece? Ou o que pode acontecer? Sob tais circunstâncias, dizemos que Paramapurus'a se tornou Táraka Brahma. Sob tais circunstâncias, Ele chega aqui em uma determinada data, deixa esta terra também em uma data específica, tem o nascimento de Seu corpo quinquelemental, e a morte de Seu corpo quinquelemental. Como vocês constatam, isto nós sabemos, Ele é uma Entidade Impessoal, como o Centro do Universo. Mas quando Ele chega sob a jurisdição desses fatores relativos, temporais, espaciais e pessoais, Ele não continua a ser uma Entidade Impessoal. Ele torna-se algo pessoal, algo mais próximo, algo intimamente relacionado, e este é o nosso Táraka Brahma.

Agora, por que é que Ele entra em contato com os fatores quinquelementais? Por que Ele vem dentro das jurisdições dos fatores espaciais, temporais e pessoais, estes três fatores relativos fundamentalmentais? Qual é a causa? Há duas razões. Um fato é, o intelecto humano pode obter satisfação após entrar em contato psíquico com a Entidade Impessoal, mas o coração do homem não está satisfeito com essa Entidade Impessoal. O coração humano quer algo mais, algo mais sentimental, algo mais agradável. E é por isso, apenas para satisfazer, apenas para dar prazer para Sua progênie, que Ele vem no âmbito desses fatores relativos. Paramapurus'a torna-se Táraka Brahma. E o segundo motivo é que, neste mundo criado, neste universo, todo e cada progresso é um progresso que ocorre através de choques e de coesões. E os seres humanos devem ter suficiente resistência (stamina) intelectual para seguir em frente, lutando contra todas as pedras dos obstáculos. Quando o intelecto humano fracassa em fazer algo novo, em ajudar a sociedade a se mover para a frente, Paramapurus'a não encontra outra alternativa senão colocá-se no âmbito dos fatores espacial-temporal-pessoal justamente para orientar a sociedade humana depravada e degenerada.

Agora, quando a sociedade está em uma condição degenerada ou depravada, onde tendências fissíparas dominam, onde o princípio estático domina, torna-se impossível para Paramapurus'a de permanecer inalterado ou inatingível pelos sentimentos e gritos humanos e as demandas humanas. Então, e só então é que Ele vem na forma de Táraka Brahma. Táraka significa "O Libertador". E este Táraka é o Bábá do mundo criado. Para Ele os devotos cantam, Bábá nama kevalam!

P.R.Sarkar - 13 de maio de 1979 à noite , Fiesch , Suíça

The Coming of Táraka Brahma
13 May 1979 evening, Fiesch, Switzerland

Last night during DMC I said that neither the tempus eternal nor nature nor fate nor accident nor the quinquelemental factors is the causal matrix, and therefore they cannot be accepted as the object of ideation. Not only that – they are not perfect in themselves, but even if these entities come into actional proximity with one another – even under such circumstances – they cannot be accepted as the goal of human life.


You see, if the tempus eternal comes in very close proximity with nature, even then we get nothing concrete, nothing adorable. And as you know, nature functions within the scope of the tempus eternal. So even if this tempus eternal comes in closer contact with nature or any other factors, we get nothing new, nothing fresh, nothing adorable. And accident, all accidents, take place within the scope of the tempus eternal. There is nothing new in accident. That is, it constitutes no philosophical addition. And fate, what is fate? Fate is the unquenched reaction, unsatisfied reaction. When action is done, it is within the scope of the tempus, and when reactions take place, that is also within the scope of the tempus. The quinquelemental factors – they are the apparent cause of the tempus. So wherever there is the tempus or there is so-called fate or so-called accident, the quinquelemental factors are there. So their mutual touch or combination doesn't make – does not create – anything noble that can be accepted as the Desideratum of human life.


“Desideratum” is a singular word, and I said the plural term “desiderata” should not be used. The Desideratum is a singular one. And that one is Parama Puruśa.



Now when Parama Puruśa directly or physically comes in contact with these factors, what happens? Parama Puruśa is beyond the periphery of the tempus, but when He comes in contact or comes within the jurisdiction of the tempus, what happens? Do we get something new then? Parama Puruśa is beyond temporal and spatial and personal boundaries. But when He comes within their jurisdictions, what happens? Or what may happen? Under such circumstances, we say Parama Puruśa has become Táraka Brahma. Under such circumstances He comes here on a particular date, leaves this earth also on a particular date, takes the birth of His quinquelemental body, the death of His quinquelemental body. This we find, and, as you know, as the hub of the Universe He is an impersonal entity. But when He comes within the jurisdiction of these relative factors, temporal, spatial and personal, He no longer remains an impersonal entity. He becomes something personal, something closer, something closely related, and that is our Táraka Brahma.


Now why does He come in contact with the quinquelemental factors? Why does He come within the jurisdictions of the temporal-spatial-personal factors, these three fundamentally-related factors? What is the cause? There are two reasons. One thing is, the human intellect may get satisfaction after coming in psychic contact with the Impersonal Entity, but the human heart is not satisfied with that Impersonal Entity. The human heart wants something closer, something more sentimental, something more pleasing. And that's why just to satisfy, just to give pleasure to, His progeny, He comes within the scope of these relative factors. Parama Puruśa becomes Táraka Brahma. And the second reason is that in this created world, in this universe, each and every progress is a progress through clashes and cohesion. And human beings must have sufficient intellectual stamina to move forward, fighting against all those pebbles of obstacles. When the human intellect fails to do something new in helping society to move forward, Parama Puruśa finds no alternative but to bring Himself within the scope of the temporal-spatial-personal factors just to guide the depraved and degenerate human society.


Now when the society is in a degenerate or depraved condition, where fissiparous tendencies dominate, where the static principle dominates, it becomes impossible for Parama Puruśa to remain unaffected or unassailed by human sentiments and human cries and human demands. Then and then only does He come in the form of Táraka Brahma. Táraka means “The Liberator.” And that Táraka is the Bábá of the created world. For Him devotees sing, Bábá náma kevalam.

                                                                    P.R.Sarkar -13 May 1979 evening, Fiesch, Switzerland      P.R.Sarkar -13 May 1979 evening, Fiesch, Switzerland