16/12/2008

OS DOGMAS E O INTELECTO HUMANO

O assunto de hoje é Os dogma e o intelecto humano. O que é o intelecto humano? A existência humana tem três funções: o movimento físico denso, ou seja, o progresso físico; o progresso intelectual; e o progresso espiritual. Quanto ao intelecto, dizemos que ele tem duas funções: pensar e memorizar.

O que queremos dizer com pensar? O que é pensar? A mente humana constitui-se do conjunto de substâncias “ectoplásmicas”. Sempre que criamos uma imagem com a ajuda dessa sustância ectoplásmica, dizemos: “Isto é um pensamento. Eu estou pensando”. Pensar significa falar internamente e, de acordo com isso, nós falamos e criamos uma figura.
Embora diferentes inferências possuam diferentes implicações na mente humana a mais importante, ou melhor, as duas inferências mais importantes são a visão e a audição. Aquilo que criamos na mente nós falamos e, ao mesmo tempo, ouvimos mentalmente: “Eu vou a São Paulo”. Quando você pensa assim, você pronuncia esta frase mentalmente: “Eu vou a São Paulo”. Nesse momento, mentalmente você vê a imagem de São Paulo, seja uma projeção real e externa de São Paulo seja uma figura imaginária de São Paulo que você criou.
Agora, nosso pensamento muitas vezes surge a partir de projeções extro-internas e, algumas vezes, da memória. Quando vemos um elefante externamente, no mesmo momento o vemos mentalmente. Muitas vezes, mesmo sem ver um elefante, você pode lembrar-se de um elefante. É um caso de recriação. Agora, o conhecimento humano, ou o saber, é dividido em duas partes, isto é, o objeto criado mentalmente pode ser de dois tipos – um que surge por meio direto e o outro extraído da memória.
Diz-se que o conhecimento ou a faculdade do conhecimento é infinita. Então, se a faculdade de conhecimento é infinita, o cérebro humano ou o crânio humano são infinito? Não, certamente não. O crânio é uma coisa finita, uma coisa muito pequena. E cérebro humano, embora possua potencialidades imensas, é finito. Ele tem muito potencial, suas qualidades são muito grandes, mas não infinitas.
As ondas de pensamento humana e o conhecimento humano podem ser direcionados para dois objetos. Um na esfera psico-objetiva e o outro na esfera espiritual objetivo-subjetiva. Quando se trata da esfera psico-objetiva, o que acontece como resultado do movimento objetivo no nível psíquico? A mente se torna cada vez maior. Para servir ao objetivo da mente, o cérebro humano – tanto as células nervosas como as fibras nervosas – se tornam mais fortes e maiores. Como resultado dessa ampliação das células nervosas o que acontecerá? No futuro, o crânio humano se tornará maior enquanto os membros e as outras partes do corpo se tornarão magras e delgadas. Mas isto também é um futuro desejável para humanidade, porque, quando a mente se desenvolver, o progresso espiritual será mais fácil.
Outro enfoque psíquico é o objetivo-subjectivo ou, pode-se dizer, a esfera espiritual objetivo-subjetiva. Neste caso, você desenvolve diferentes faculdades mentais ou propensões e as eleva ao seu mais alto grau. E quando essas faculdades mentais são elevadas ao seu ápice, o que faz você? Você oferece essa mente humana elevada no altar da Espiritualidade Suprema. Esta é a abordagem espiritual.
Agora, se alguém diz que, na vida humana, o conhecimento tem pouco ou nenhum valor, não está cem por cento correto. No progresso espiritual, se o conhecimento ou o curso do conhecimento for uma subjetivação do mundo físico, então, neste caso o progresso será postergado. Porém, não será bloqueado para sempre. Para os intelectuais, o progresso espiritual sempre está postergado, e a razão para isto é a seguinte: o corpo intelectual segue se expandindo, porém, devido à falta uma mentalidade unidirecional, a Meta permanece distante. Mas, quando o corpo intelectual se torna bastante expandido, por certo eles se torna um com o Macrocosmo. Quando ampliada, a estrutura ectoplásmica se torna uma com a estrutura ectoplásmica cósmica. Certamente, então, os indivíduos experimentarão a unidade com o Supremo.
Para os aspirantes espirituais, este tipo de progresso intelectual poderá ser insignificante ou considerado supérfluo. Porém, para a sociedade como um todo, este tipo de progresso intelectual não deverá ser desencorajado, ao contrário, deverá ser encorajado. Eu quero que os nossos rapazes e moças que são intelectualmente desenvolvidos ou que desejam um desenvolvimento intelectual, encorajem este tipo de progresso intelectual que, por fim, ajudará a sociedade humana em todos os tipos de progresso. Eu quero que vocês, rapazes e moças, sintam e compreendam a utilidade do progresso intelectual. Iniciem os seus clubes de Renascença Universal (RU) em todas as cidades e mesmo em todos os vilarejos do mundo.

P.R.SARKAR(A.V.M. – XII, 22/09/1979 – Kingston, Jamaica)