11/10/2015

PRINCÍPIOS DE PROUT

1. Varnapradhanata cakradharayam

“No movimento dos ciclos sociais, sempre há uma classe que domina.”

Significado: Uma vez que nenhum sistema social evoluiu de forma coesa nos primórdios da civilização, podemos denominar aquela época de era Shudra. Naqueles tempos todas as pessoas obtinham seu sustento através do trabalho braçal. Depois veio a era dos líderes de clãs — dos fortes e destemidos, a qual podemos chamar de era Ksattriya. A esta seguiu-se a era dos intelectuais — também conhecida como era Vipra. Finalmente veio a era dos capitalistas — a era Vaeshya.
Quando guerreiros e intelectuais são subjugados como trabalhadores braçais, devido à exploração promovida pela era Vaeshya [Capitalista], ocorre a revolução dos shudras. Mas os shudras não conseguem formar um sistema social coeso nem têm intelecto suficientemente desenvolvido para governar a sociedade. Por conseguinte, o poder na era pós-capitalista passa logo para as mãos daqueles que comandam a revolução dos shudras — os líderes fortes e corajosos. Assim, começa a segunda era Ksattriya.
Desta forma, as eras Shudra, Ksattriya, Vipra e Vaeshya sucedem-se, acompanhadas de revoluções; e em seguida começa uma segunda ordem cíclica. Assim, os ciclos sociais (samaja cakra) prosseguem em seu processo de rotatividade.
 


2. Cakrakendre sadviprah cakraniyantrakah

“Os sadvipras devem se estabelecer no núcleo do ciclo social e controlar os ciclos sociais.”

Significado: Aquelas pessoas que são moralistas inabaláveis e espiritualistas sinceras e que desejam acabar, mesmo com a utilização de força, com a imoralidade e a exploração são chamadas de sadvipras. Elas não devem atuar na periferia dos ciclos sociais, porque delas é a responsabilidade de controlar a sociedade, portanto, elas devem permanecer firmemente estabelecidas no núcleo dos ciclos sociais.
O movimento rotatório dos ciclos sociais, sem dúvida, prosseguirá, mas se ocorrer de os dominadores — sejam as pessoas dotadas de espírito guerreiro da era Ksattriya, sejam os intelectuais da era Vipra, sejam os capitalistas da era Vaeshya — se degenerarem em exploradores ambiciosos, ao invés de atuar como governantes benevolentes, será um dever sagrado dos sadvipras proteger as pessoas honestas e exploradas e subjugar os exploradores malévolos, mesmo utilizando-se de força.
3. Shaktisampatena cakragatibardhanam krantih

“Uma aceleração no movimento dos ciclos sociais com o uso de força é denominada evolução.”

Significado: Quando se verificar que guerreiros tenham se degenerado em exploradores, os sadvipras deverão estabelecer a era Vipra, após subjugar os exploradores guerreiros. Conseqüentemente, o advento da era Vipra, que deveria ser de forma natural, ocorrerá em função do uso deforça. A uma mudança de eras em tais circunstâncias denomina-se “evolução” (kranti). A diferença entre evolução e mudança natural (svabhavika parivarttana) é apenas esta: no processo evolutivo, o movimento dos ciclos sociais é acelerado com a aplicação de força.
4.Tiivrashaktisampatenagatibardhanam viplavah

“Uma aceleração no movimento dos ciclos sociais com o uso de uma força extraordinária denomina-se revolução.”

Significado: Quando, num curto período de tempo, uma determinada era é substituída pela seguinte, ou quando uma força extraordinária é aplicada para desmontar o domínio fortemente estabelecido em uma era qualquer, tal mudança é denominada “revolução” (viplava).

5.Shaktisampatena vipariitadharayam vikrantih

“Uma reversão no movimento dos ciclos sociais com o uso de força é denominada contra-evolução.”

Significado: Se houver reversão de uma era para a precedente, devido à utilização de força, a tal mudança dá-se o nome de “contra-evolução” (vikranti). Por exemplo, o estabelecimento da era Ksattriya em seguida à era Vipra representa uma contra-evolução. A permanência desta contra-evolução é extre­mamente curta. Isto é, em pouco tempo ela é substituída pela era seguinte ou por aquela que viria imediatamente após esta última. Em outras palavras, se a era Ksattriya suceder, repentinamente, a era Vipra, devido à contra-evolução, então a permanência da era Ksattriya não será muito longa. Em pouco tempo, ela será substituída pela era Vipra ou, como seria natural, pela era Vaeshya.

6. Tiivrashktisampatena vipariitadharayam prativiplavah
“Uma reversão no movimento dos ciclos sociais resultante do uso de uma força extraordinária chama-se contra-revolução.”

Significado: Da mesma forma, se num curto período de tempo o ciclo social for revertido em função do uso de uma força extraordinária, a tal mudança dá-se o nome de “contra-revolução” (prativiplava). A contra-revolução tem uma duração menor ainda do que a contra-evolução.

7. Purnavartanena parikrantih

“Uma rotação completa do ciclo social denomina-se evolução periférica”.

Significado: Uma rotação completa do ciclo social, culminando com a revolução Shudra, é chamada de “evolução periférica” (parikranti).

8. Vaecitryam prakrtadharmah samanam na bhavisyati

“A diversidade, e não a igualdade, é uma lei da natureza.”

Significado: A característica inata do Princípio Operativo Supremo (Prakrti) é a diversidade, e não a igualdade. Dois objetos deste universo nunca são idênticos, sejam dois corpos, duas mentes, duas moléculas, ou dois átomos. Esta diversidade é uma tendência inerente ao Princípio Operativo Supremo.
Aqueles que quiserem tornar tudo igual certamente falharão, porque estarão indo de encontro à característica inata do Princípio Operativo Supremo. Apenas no estado em que o Princípio Operativo Supremo não possui expressão1 tudo é igual. Aqueles que pensam em tornar todas as coisas iguais, inevitavelmente, pensam na destruição de todos.

9. Yugasya sarvanimnaprayojanam sarvesam vidheyam

“As necessidades mínimas de uma era devem ser garantidas a todos.”

Significado: Hararme pita Gaorii mata savadeshah bhuvanatrayam. Isto é, a Consciência Suprema (Purusa) é meu pai, o Princípio Supremo Operativo (Prakrti), minha mãe e os três mundos2 são minha terra natal. Toda as riquezas do universo formam o patrimônio comum de todos, ainda que duas coisas em todo o universo não sejam absolutamente iguais. Portanto, as necessidades mínimas da vida devem estar ao alcance de todos. Em outras palavras, alimentação, vestuário, assistência médica, habitação e educação devem ser proporcionados a todos. As necessidades mínimas dos seres humanos, no entanto, mudam de acordo com a mudança de eras. Por exemplo, no que diz respeito aos meios de transporte, a bicicleta pode ser a necessidade básica numa era, enquanto que o avião poderá sê-lo em outra. As necessidades mínimas devem estar ao alcance de todos, de acordo com a era em que se estiver vivendo.

10. Atirikitam pradatavyam gunanupatena

“O excedente de riqueza deve ser distribuído entre as pessoas meritórias, de acordo com seu mérito.”

Significado: Depois que forem garantidas as necessidades básicas de todos, a cada era, o excedente de riqueza terá de ser distribuído entre as pessoas meritórias, de acordo com o mérito de cada uma. Numa era em que a bicicleta se constituir uma necessidade mínima para as pessoas comuns, um carro será necessário a um médico. Em reconhecimento ao mérito das pessoas e para que lhes sejam dadas maiores chances de prestar serviços à sociedade, elas terão direito a um carro. O ditado “sirva de acordo com sua capacidade e ganhe conforme sua necessidade” soa agradável ao ouvido, mas não colherá resultado algum no solo árido da terra.

11. Sarvanimnamanabardhanam samaja jiivalak-sanam

“A melhoria do padrão de vida básico das pessoas indica a vitalidade da sociedade”.

Significado: As pessoas meritórias devem receber algo mais além dos requisitos mínimos assegurados às pessoas em geral, como também deve-se fazer esforços incessantes para elevar o padrão de vida básico. Por exemplo, enquanto hoje a necessidade mínima de uma pessoa comum seria uma bicicleta, a de uma pessoa meritória seria um automóvel, mas esforço apropriados devem ser feitos para que as pessoas comuns tenham acesso aos automóveis. Depois que estas tiverem adquirido carros, poderá ser necessário dar às pessoas meritórias a oportunidade de ter um avião. Depois que estas tiverem um avião, esforços deverão ser feitos para proporcionar às pessoas comuns um avião, elevando-se, então, o padrão de vida mínimo. Desta forma, os esforços para elevar o padrão de vida mínimo devem ser incessantes, e deles dependerão o desenvolvimento material e a prosperidade dos seres humanos.

12. Samajadeshena vina dhanasaincayah akartavyah

“Nenhum indivíduo deve acumular qualquer riqueza material sem a permissão ou a aprovação clara do corpo coletivo”.3

Significado: O universo é uma propriedade de todos. Todas as pessoas têm direito ao usufruto mas não à má utilização da propriedade coletiva. Se uma pessoa adquire e acumula riqueza em excesso, ela diretamente priva outros de seu conforto e felicidade na sociedade. Tal comportamento é flagrantemente anti-social. Portanto, ninguém deveria acumular riqueza sem o consentimento da sociedade.

13. Sthulasuksmakaranesu caramopayogah prakartavyah vicara samarthitam vantanainca

“Deve haver máxima utilização e distribuição racional de todo o potencial do universo, nos planos mundano, supramundano e espiritual .”

Significado: As riquezas e os recursos disponíveis dos mundos denso, sutil e causal devem ser desenvolvidos para o bem-estar de todos. Todos os recursos inexplorados no mundo qüinqüelemental — sólido, líquido, luminoso, aéreo e etéreo — devem ser utilizados em sua totalidade, e o esforço nesse sentido garantirá o desenvolvimento máximo do universo. As pessoas devem explorar com pertinácia a terra, o mar e o espaço, para descobrir, extrair e processar as matérias-primas fundamentais às suas necessidades.
Deve haver uma distribuição racional da riqueza acumulada da humanidade. Em outras palavras, todas as pessoas devem ter garantidas as necessidades mínimas. Além disso, as necessidades das pessoas meritórias e, em certos casos, das pessoas com carências especiais devem ser consideradas.

14.Vyastisamastishariiramanasadhyatmika sambhavanayam caramo payogashca

“Deve haver máxima utilização dos potenciais físico, metafísico e espiritual da sociedade humana, tanto do indivíduo como do corpo coletivo “.

Significado: A sociedade deve assegurar o desenvolvimento máximo do corpo coletivo, da mente coletiva e do espírito coletivo. Não deve ser esquecido que o bem-estar coletivo consiste no indivíduo e que o bem-estar individual consiste na coletividade. Se o conforto individual não for garantido, por meio da provisão apropriada de gêneros alimentícios, luz, ar, acomodação e cuidados médicos, o bem-estar do corpo coletivo não poderá jamais ser conseguido. Motivados pelo espírito de melhorar o bem-estar coletivo, nós devemos promover o bem-estar individual
O desenvolvimento da mente coletiva será impossível de ser alcançado, se não houver um desenvolvimento apropriado da conscientização social para encorajar o espírito de serviço social e despertar o conhecimento em cada indivíduo. Assim, inspiradas no pensamento de promover o bem-estar da mente coletiva, as pessoas devem fomentar o bem-estar da mente individual.
A ausência de moralidade espiritual e de espiritualidade nos indivíduos quebrará a espinha dorsal da coletividade. Assim, para garantir o bem-estar coletivo, é necessário despertar a espiritualidade nos indivíduos. A mera existência de meia dúzia de pessoas fortes e bravas, de um número reduzido de intelectuais ou de alguns poucos espiritualistas não indica o progresso de toda a sociedade. A potencialidade para o desenvolvimento nos planos físico, mental e espiritual é inerentes a todos os seres humanos. Esta potencialidade tem que ser desenvolvida e desfrutada.

15. Sthulasuksmakaranopayogah susantulitah vidheyah

“Deve haver um ajuste apropriado quanto à utilização nos planos físico, metafísico, mundano, supramundano e espiritual.”

Significado: Para que o bem-estar de indivíduos e da coletividade seja garantido, deve haver um ajuste apropriado quanto à utilização nas esferas física, mental e espiritual e nos mundos denso, sutil e causal. Por exemplo, a sociedade tem a responsabilidade de prover os requisitos mínimos de cada indivíduo. Mas se alimentação e habitação forem asseguradas sob o impulso dessa responsabilidade, a iniciativa individual será menosprezada. As pessoas, gradualmente, ficarão letárgicas. Portanto, a sociedade deve garantir que as pessoas, através de seu trabalho e de acordocom sua capacidade, possam ganhar o dinheiro suficiente para a aquisição das necessidades mínimas. Para elevar o nível das necessidades básicas das pessoas, a melhor política é aumentar o seu poder aquisitivo.
Por “ajuste apropriado” entende-se que a sociedade deve adotar uma política equilibrada quanto à utilização de serviços de uma pessoa capacitada, em qualquer um dos planos: físico, mental e espiritual. Quando utilizar os serviços de uma pessoas, a sociedade deverá levar em consideração sua habilidade predominante, seja no plano físico, seja no intelectual, seja no espiritual. Em relação àqueles que tiverem maior desenvolvimento físico e intelectual, a sociedade deve adotar uma política equilibrada, exigindo deles mais serviço intelectual e menos serviço físico, porque a capacidade intelectual é comparativamente mais sutil e rara. Daqueles que são física, mental e espiritualmente desenvolvidos, a sociedade deve obter o máximo de serviço espiritual, um pouco de serviço intelectual e muito menos de serviço físico.
No que diz respeito ao bem-estar social, aqueles providos de força espiritual podem prestar os melhores serviços, seguidos daqueles providos de capacidade intelectual. Aqueles que só têm força física, embora sejam importantes, não podem fazer nada de forma independente. O que quer que façam, o fazem instruídos por pessoas providas de capacidade intelectual ou espiritual. Desta forma, a responsabilidade de controlar a sociedade não deve ficar nas mãos daqueles que só têm força física, ou nas mãos de pessoas que só são corajosas, ou ainda nas mãos daqueles que são apenas desenvolvidos intelectualmente, ou das pessoas providas de conhecimento exclusivamente do mundo material. O controle social deve ficar nas mãos das pessoas que são, ao mesmo tempo, espiritualmente elevadas, inteligentes e corajosas.

16. Deshakalapatraeh upayogah parivarttante te upayogah pragatishiilah bhaveyuh

“O método de utilização deve variar de acordo com as mudanças de tempo, lugar e pessoa e a utilização deve ser de natureza progressiva.”

Significado: A utilização apropriada de qualquer objeto varia de acordo com as mudanças de tempo, lugar e pessoa. Aqueles que desconhecem este princípio simples permanecem apegados ao esqueleto do passado e como resultado são descartados pelo dinamismo da sociedade. Sentimentos mesquinhos baseados em nacionalismo, regionalismo, orgulho de linhagem etc., tendem a manter certas pessoas afastadas deste princípio fundamental e, por isso, elas nunca o aceitam, sem reservas, como uma verdade elementar. Em conseqüência, essas pessoas, depois de causarem danos indescritíveis a seus países, aos cidadãos e a si próprios, são forçadas a sair furtivamente para o anonimato.
O método de utilização de cada objeto varia de acordo com os fatores tempo, lugar e pessoa. Isto tem de ser aceito e, após reconhecerem este fato, as pessoas terão de utilizar cada objeto e cada idéia de maneira progressiva. Por exemplo, a energia despendida por uma pessoa forte para manusear uma marreta deveria, com a ajuda de recursos científicos, ser utilizada para manejar mais de um equipamento, evitando-se desperdícios de energia com o manejo de uma só ferramenta. Em outras palavras, a pesquisa científica dirigida por idéias progressistas deve utilizar cada vez mais o potencial humano. Não é sinal de progresso o uso de tecnologia defasada numa era de desenvolvimento da ciência.
A sociedade terá de enfrentar bravamente os diferentes tipos de obstáculos, grandes ou pequenos, que surjam no processo de utilização de recursos e materiais diversos com idéias progressistas e tecnologia de ponta. Através da luta, a sociedade terá de seguir em direção à vitória, no caminho da realização plena da vida.

Pragatishiila upayogatattvamidam’ sarvajanahita’rtham’ sarvajanasukha’rtham’ praca’ritam

Esta é a Teoria da Utilização Progressiva, que foi elaborada para a felicidade e o bem-estar geral de todos.

Jamalpur, 28 de junho de 1961
Ananda Sutram

1 O universo infinito é composto de dois princípios: Princípio Cognitivo Supremo ou Consciência Suprema (Paramá Purusa, em sânscrito) e Princípio Operativo Supremo ou Energia (Prakrti, em sânscrito). A Consciência Suprema, que domina a Energia no estágio em que não há criação, permite, num momento que não pode ser definido em termos de tempo e lugar, que a Energia atue sobre Ela e inicie a criação, mas a Consciência permanece a observar, como uma Testemunha, todo o processo da criação, mantendo-se em seu estado imperturbável de absoluta paz e igualdade, onde a Energia não tem qualquer expressão. Para um maior aprofundamento na filosofia espiritual, recomendamos a leitura de outros livros publicados pela editora.

2 Os três mundos significam as três forças (ou atributos) do Princípio Operativo: sutil, mutatória e estática. Elas atuam em conjunto no universo e nunca de forma isolada. Em cada coisa do universo físico ou metafísico uma dessas forças prevalece sobre as outras duas. A força sutil ajuda na elevação da consciência individual, a força estática degrada a consciência individual e força mutatória faz o elo entre essas duas forças.

3 Os princípios de números 12 a 16 são denominados os “Cinco Princípios Fundamentais de PROUT”. Foram originalmente enunciados, em inglês, em 5 de junho de 1959, no discurso denominado The Cosmic Brotherhood, do livro Idea and Ideology. Dois anos depois, ao lançar o livro Ananda Sutram, no capítulo 5, o autor enunciou os onze primeiros princípios e acrescentou a estes cinco seus “significados” e os aforismos em sânscrito.


Um comentário:




  1. "El sistema social que surgirá de mantener el equilibrio y armonía del tiempo, espacio y persona, será denominado socialismo progresivo. Nuestro Prout es este socialismo progresivo. La sociedad tendrá que hacer todos los arreglos necesarios para asegurar e incrementar el estándar de vida de cada individuo. Cuando se establezca el socialismo progresivo dentro de la estructura democrática, entonces, la democracia tendrá éxito. De otra manera el gobierno del pueblo, por el pueblo y para el pueblo, tan sólo significará el gobierno de los tontos, por los tontos y para los tontos."

    Materialismo dialéctico y democracia

    Prabhat Ranjan Sarkar



    The social system that will come into being, keeping parallelism and harmony with time, space and person, will be called progressive socialism. Our Prout is that very progressive socialism. Society will have to make provisions to ensure an increase in the living standard of every individual. When progressive socialism is established within the framework of democracy, then democracy will be successful. Otherwise, government of the people, by the people and for the people will only mean government of fools, by fools and for fools

    Published in:
    A Few Problems Solved Part 2
    Prout in a Nutshell Part 6 [a compilation]
    The Great Universe: Discourses on Society [a compilation]
    Universal Humanism [a compilation]

    Prabhat Ranjan Sarkar



    http://socialismoprogresivo.blogspot.com.ar/

    ResponderExcluir